Família mosaico: novos arranjos familiares no país

 O pequeno Arthur Guilherme Costa, de quatro anos, ajudou a unir ainda mais uma família cuja configuração está se tornando mais comum nos dias de hoje, chamada pelos estudiosos de "família mosaico". O pai de Arthur, o técnico químico Andress Guilherme da Costa, de 37 anos, já tinha dois filhos quando ele nasceu. A mãe, a analista de logística Andrea Evelyn Guilherme da Costa, de 38, também. Depois de casamentos que não deram certo, Andrea e Andress se conheceram, namoraram, casaram-se e agora vivem com filhos da união atual e das anteriores.
Numa casa simples e em obras na cidade de Itapecerica da Serra, região metropolitana de São Paulo, além do casal, moram Mikaell, de 17 anos, e Kevinn, de 14 anos, filhos de Andrea, além de Arthur. Os filhos do primeiro casamento de Andress, Amanda, de 18 anos, e Alexandre, de 15, moram com a mãe, Ana Lúcia, e visitam o pai a cada 15 dias, convivendo com os irmãos.

O relacionamento entre eles, segundo dizem, é de harmonia e respeito. Mikaell diz ter ciúmes e se sente um irmão protetor em relação a Amanda, apesar de ela ser mais velha e os dois não terem nenhum laço sanguíneo:
— Tenho que dar conselhos para ela.
Quando Amanda começou a namorar, Andrea foi convocada pelo pai para conversar sobre gravidez e anticoncepcionais com a enteada, pois ele acha que a mãe da adolescente, evangélica, não falaria sobre isso com a filha.
— Tia Andrea me ajudou bastante, conversava comigo sobre coisas que a minha mãe não falava — diz Amanda.
Católicos, Andrea e Andress não querem que os filhos repitam sua história.
— Eu pedi para o meu filho Mikaell e a namorada dele, que querem casar, pensarem um pouco mais. Não queremos que aconteça com eles o que aconteceu com a gente — afirma Andrea.
Com a família numerosa, o casal tem restrições. Andrea fez faculdade primeiro, e, quando se formou, em 2004, foi a vez de Andress se tornar técnico em química. A renda fixa da família, de R$ 5.500, é completada com a venda de cachorro-quente em uma van na porta de universidades e em eventos.
Árvore genealógica confusa
Na família da empresária Fernanda do Valle, de 34 anos, explicar a árvore genealógica é um desafio que um dos filhos dela, Daniel, de 12 anos, enfrentou na escola. Ele é fruto do primeiro relacionamento de Fernanda, e o pai dele tem outro filho, com outra mulher. Após se separar, Fernanda casou com o engenheiro agrônomo Vicente Amadeo Gongorra, de 50 anos, que já tinha duas filhas: Karinna, de 21, e Thalita, de 17. Juntos, Fernanda e Vicente tiveram Theo, hoje com 10 meses.
Fonte: O Globo.

0 comentários:

Postar um comentário