O teatro mágico: conhecem???? Deviam conhecer!

Caros amigos, voces conhecem o grupo chamado O teatro mágico??? Provavelmente sim! Eles andam lotando shows por todo o país, com um público cativo e estilo próprio. Leras bem trabalhadas e arranjos impecáveis. Para os que ainda não conhecem, fica a boa sugestão...
Fernando Antinelle (lider do grupo) e sua trupe comandam uma nova forma de ver a música, baseada na liberdade de comunicação e divulgação via internet, longe dos terriveis "jabás" que nos empurram todo tipo de porcaria musical em rádios e programas medonhos de tv. Segue artigo recente dele sobre a matéria....

Ja estive em dois shows do TM em Campina Grande e posso afirmar que foram experiências musicais maravilhosas...




Recentemente demos uma entrevista para a revista Fórum com declarações sobre o novo momento da música, do mercado e dos modelos de negócio nesta área… Com o intuito de esclarecer nosso público, músicos, usuários da música em geral, sobre toda essa cadeia produtiva e suas ramificações, enfim…

O Teatro Mágico iniciou um movimento chamado MPB (Música para Baixar)! Movimento que se opõe a toda uma estrutura vigente atualmente no mercado que contempla a lógica do capital: Pagou, tocou! isso mesmo! simples assim… relação conhecida como “jabá” – crime que acaba censurando o artista local, independente e que muitas vezes não vê outra forma de mostrar seu trabalho a não ser no Rádio ou na TV!

Aliás… me diga, em qual outro meio de comunicação você espera ouvir música?
Qual o caminho para a nova geração de músicos? Correr atrás de uma gravadora qualquer? Ou daquele canal que se diz de música brasileira!? Como divulgar seu trabalho? E depois? Como se sustenta o grupo? Como fazer pra dar sobrevida às coisas todas que produzimos?

O MPB não quer dizer… “estou dando de graça, não valorizo, não me importo, estou abrindo mão dos meus direitos”… de maneira alguma!
É justamente o contrário! Você é dono da sua música, não mais a Editora da Gravadora X, Y ou Z! Você cria as licenças sob as quais você quer reger sua obra (Creative Commons), você é quem decide como, quando e o quê fazer com todo seu material!
Buscamos transparência junto ao Ecad (orgão que recolhe dinheiro pela execução de uma música) que repassa tudo o que é arrecadado para as 600 músicas mais tocadas no rádio! OPA! Mas perai… eu não toco no rádio! eu não pago jabá!? e agora?
Ou seja, mesmo que sua música toque no rádio (um pouco), o retorno disso não vem pra voce… vai para as 600 mais tocadas! e quais são as mais tocadas? as que pagam JABÁ! pronto. fechamos o ciclo da panela toda!

É sabido, que atualmente, as gravadoras não investem mais como antes em grupos novos (do zero!), justamente pela possibilidade e variedade de música que o cidadão comum pode encontrar na net e consumir a vontade! Eles buscam bandas que já tenham certo público, uma carreira mínima, uma relação interessada com a música! e passam o resto do tempo investindo milhões em publicidade, em programações diárias pra fazer você (ouvinte) acreditar que aquilo que esta passando é de fato “vontade do povo”! Isto não é justo, não é democrático e não é transparente… a música livre sim! Você ouve se quiser, baixa se quiser, divulga se quiser! Parafraseando Pena Schmicht: “O que irá prevalecer a partir de agora é o talento!” e não mais o investimento! Não dá pra enganar o público tanto assim com tanta informação acessível a todos! Tiramos a mascara do carrasco que insiste em vestir a carapuça de novo! Chega!

1 comentários:

  1. Rapah,

    o Teatro Magico eh realmente uma das bandas mais legais do nordeste dos ultimos tempos (e olha que ja eh velhinha...) Mas vale lembrar que nao apenas eles, mas muitas outras bandas sofrem desse mesmo problema. Basta citar o Escurinho, Chico Correia e Eletronic Band e ate o proprio Cabruera, que por mais famosa que seja, nao eh tao famosa assim...

    ResponderExcluir